Postado em 11 de Junho de 2020 às 23h47

CULTURA ORGANIZACIONAL - Um olhar sobre pessoas

Artigos (79)
P&P Consultoria - Desenvolvimento Humano e Organizacional O conceito da palavra cultura é vasto. Diz respeito ao conjunto de ideias, características e hábitos de uma determinada civilização, nação...

O conceito da palavra cultura é vasto. Diz respeito ao conjunto de ideias, características e hábitos de uma determinada civilização, nação ou população, bem como ao conhecimento adquirido por ela ao longo do tempo e como reage aos acontecimentos impostos pela realidade. E há a cultura organizacional: normas e padrões que norteiam a conduta dos colaboradores de uma empresa.

Em 2018, a GOL Linhas Aéreas sentiu a necessidade de alterar o nome do seu departamento de Recursos Humanos. Em novembro daquele ano, passou a se chamar Gente e Cultura. O que até pode parecer um modismo corporativo para alguns, nada mais foi do que uma real adequação da área ao DNA da Companhia, aos seus valores, ao seu propósito e à sua missão. Meritocracia em vez de burocracia. Pluralidade de vozes no lugar de atitudes uníssonas.


Líder no mercado doméstico e primeira e única low cost inteligente do país, a GOL nasceu em 2001 com o propósito de democratizar o transporte aéreo no Brasil. E chegou lá. Nesses 20 anos de história, a Companhia sempre quis ser para todos, sem distinção. Se tomarmos um voo como objeto de análise, constatamos que a bordo veem-se brancos, negros, ricos, pobres, crianças, jovens, maduros, velhos, heterossexuais, gays, transsexuais, judeus, católicos, espíritas e toda a sorte de perfis. Buscamos incessantemente que esse mesmo estrato social que ocupa cada aeronave esteja representado entre o público interno da empresa – os nossos colaboradores.

Simples, inteligente e humana. A essência que norteia a GOL, hoje, cairia por terra caso a organização não tivesse, em seu quadro de funcionários, um espelho daquilo que realiza externamente. Há, por exemplo, Clientes para os quais a tecnologia é essencial no dia a dia, eles a absorvem com intensidade e dependem dela para o trabalho e o lazer. Como atender a essas demandas se não tivermos ases em informática e inovação em nosso time? Para o passageiro idoso, que viaja pela primeira vez de avião, mais importante do que ter o Wi-Fi a bordo é o contato humano, em nome do seu conforto e bem-estar. É simples: Colaboradores que não são tratados dessa forma dentro da empresa não podem dar o melhor de si e realizar um atendimento humanizado.


A diversidade é parte importante na legitimidade dessa filosofia, pois a diferença agrega, abre as portas às novas ideias e à criatividade, torna o time mais adaptável e apto a performar em cenários distintos e desafiadores. Temos mulheres em vários níveis hierárquicos e cargos da GOL, inclusive pilotando aviões e atuando na GOL Aerotech, o centro de manutenção de aeronaves, em Confins (MG). Abrimos espaço aos portadores de deficiências em postos nos aeroportos e em setores de atendimento aos Clientes, permitindo, ainda, o trabalho de cadeirantes e deficientes visuais em domicílio. Buscamos nos aproximar dos negros (mais distantes da aviação do que deveriam) para atraí-los aos nossos processos seletivos. Passamos a contratar profissionais com 50 anos ou mais – maturidade que implica vivência e empatia. Nos aproximamos de todas as cores e gêneros para que um colaborador transexual, por exemplo, não seja apenas um estrato de afirmação, mas algo que cresce organicamente na organização à medida que fornecemos condições de evolução social internamente. Sabendo que ainda existe uma grande gama de vieses inconscientes que permeiam nossa sociedade.

O objetivo da Companhia é criar, sem bandeiras, um ambiente positivo e uma atmosfera de naturalidade, respeito e valorização que estimulem a todos, nas áreas administrativas e em aeroportos. É espalhar a preocupação com a segurança e o bem-estar dos Clientes e Colaboradores pelos quatro cantos da empresa, de tal forma que não seja um assunto, uma vez que vai muito além disso: é a razão de ser de todas as nossas operações. É fazer com que o espírito competitivo aflore em cada um não apenas em nome do sucesso corporativo, mas também do crescimento pessoal e do desenvolvimento do nosso país. A GOL tem imenso orgulho de ser brasileira. Trata-se de um jeito de ser e fazer próprio, democrático, moderno e plural. A isso damos o nome de cultura GOL.


Fonte: Melhor Gestão de Pessoas - de Jean Carlo Nogueira

Veja também

Como alinhar os sonhos do colaborador ao crescimento da empresa?15/08/19 Janete Vaz cofundadora e presidente do Conselho de Administração do Grupo Sabin e eleita por dois anos consecutivos uma das Mulheres mais Poderosas do Brasil pela Forbes, fala da importância de transformar em ação os seus sonhos e compartilhar dos sonhos de seus colaboradores. Foi pensando na importância de respeitar o ser humano e na diversidade, que a Sabin se tornou......
O papel do RH no pós-pandemia09/07/20 Será necessário ressignificar o trabalho e as relações. E é justamente o RH quem poderá propiciar tudo isso. Muito se tem falado sobre o novo normal e como serão os desafios daqui para frente.......
As vantagens dos benefícios flexíveis na retenção de talentos15/10/20 A qualidade dos benefícios e a possibilidade de escolher os que fazem mais sentido serão fatores preponderantes na escolha dos candidatos. A crise atual impactou a gestão em diversas empresas, principalmente a relação......

Voltar para COMPARTILHANDO

USO DE COOKIES

Nós utilizamos cookies com objetivo de prover a melhor experiência no uso do nosso site. Por favor, leia nossa Política de Privacidade e nossos Termos & Condições para entender quais cookies nós usamos e quais informações coletamos em nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda que podemos armazenar cookies no seu dispositivo. Leia nossa Política de Privacidade.